Resina para Cimento Queimado

Quem trabalha com esse material também não orienta que ele seja aplicado sobre outros revestimentos. O ideal é que o piso antigo (madeira, cerâmica ou porcelanato) seja retirado e que o contrapiso seja refeito e nivelado, com a aplicação do “cimento queimado” em seguida. Para reduzir o risco de que surjam trincas, recomenda-se o uso de juntas de dilatação com, no máximo, um metro de distância entre elas. Estas juntas podem ser de madeira, de plástico ou de metal.

Da mesma forma, manchas também podem ser evitadas. A mudança da coloração se deve a um fenômeno conhecido como eflorescência, em que o cimento libera gases que chegam à superfície do piso. A opção por materiais de qualidade é essencial para que esse processo não ocorra. A escolha do cimento, a seleção de uma areia final, clara e lavada e a aplicação de resinas acrílicas com filtros que combatem raios UV (ultravioleta) tendem a evitar o “desbotamento” do revestimento.

cimento-queimado-18

Outra solução para se conseguir um piso de “cimento queimado/concreto polido” uniforme é a opção pelo concreto dosado em central ou a compra de argamassas pré-fabricadas que já vêm prontas para a aplicação. Há quem prefira também dar sofisticação ao piso. Neste caso, a substituição do cimento comum pelo cimento branco estrutural, revestido por resina plástica, transmite um efeito semelhante ao do porcelanato. Há ainda quem opte pelo tecnocimento – revestimento com espessura de 2 mm, que usa pó de limestone (espécie de pó de pedra), pó de mármore ou pó de quartzo no lugar da areia, e que dispensa juntas de dilatação.

Resina para Cimento Queimado
1 (20%) 2 votes