Impermeabilização flexível

Impermeabilização Flexível

Os materiais mais comuns de serem utilizados na construção civil, infelizmente, não garantem a impermeabilização suficiente para proteger a estrutura contra a destrutiva ação da umidade e infiltrações. Por isso, métodos de impermeabilização foram criados para tentar suprimir esse grande mal. Um desses métodos é impermeabilização flexível.

Mas por que saber disso é tão importante?

Pois saiba que uma obra sem a impermeabilização correta está fadada a ter problemas sérios e de longo prazo, como as temíveis fissuras e fungos nas paredes. Elas podem parecer inofensivas, mas podem progredir para algo ainda pior, podendo chegar a proporcionar riscos ao sistema estrutural ou para a saúde dos inquilinos.  

Como se pode perceber, este não é um assunto a ser ignorado. Existem vários tipos de métodos e materiais feitos para impermeabilizar a construção, entretanto, nesse texto nos focaremos mais na impermeabilização flexível, suas características e tipos de uso.

Impermeabilização Flexível X Impermeabilização Rígida

Antes de mais nada, para compreendermos melhor sobre o método da impermeabilização flexível, nada melhor do que compara-la a impermeabilização rígida.

O que é Impermeabilização rígida

Mas como assim rígida? A impermeabilização não é tudo igual?

Bem, não é.

A impermeabilização rígida, ao contrário da impermeabilização flexível, não é recomendável para grandes movimentações da estrutura. Podem ser sim eficientes contra infiltrações, mas só isso.  

Os locais mais recomendáveis para a aplicação dos sistemas rígidos são em quaisquer áreas de baixa mobilidade. Podendo ser:

  • Fundações;
  • Na superfície que existe embaixo do piso;
  • Locais submersos;
  • Reboco;
  • Sobrepiso.

Impermeabilização flexível

Esse método garante a impermeabilização por meio de uma membrana de proteção, evitando assim que a água penetre dentro da estrutura da obra. Além disso, o nome flexível se dá pelo fato da sua resistência contra contrações e dilatações térmica.

A impermeabilização flexível é a mais usada no Brasil, atualmente. Ainda vem com várias opções no mercado, perfeito para proteger qualquer parte da obra contra a umidade.

Falando nessas opções, nada melhor que conhecermos os tipos de sistemas desse impermeabilizador!

Sistemas de impermeabilização flexível

Como já fora dito anteriormente, existem vários tipos de opções para o consumidor escolher na hora de decidir como impermeabilizar sua construção. A seguir, os sistemas mais utilizados no Brasil:

Sistema acrílica

É a melhor opção para os locais difíceis de serem alcançados e em superfícies expostas que não será aplicado nenhum tipo de revestimento. Esse sistema é o resultado da emulsão de polímeros termoplásticos em meio aquoso. Sua aplicação é feita a partir demãos com o produto, intervalados com outro tipo de estruturante (como fibra de poliéster).

Contudo, como nada no mundo são rosas, certos cuidados são necessários, como:

  • Abrasão – Ou seja, esse sistema não é indicado para superfícies com muito movimento de pessoas, veículos e escoriações;
  • Drenagem de água – Se existir qualquer tipo de presença de água numa superfície onde se tenha aplicado emulsão acrílica, então há o perigo de ocorrer reações indesejáveis, que fazem com que o produto perca seu efeito de impermeabilização.

Manta asfáltica

O método mais utilizado no território brasileiro. É uma manta feita de material asfáltico modificado, armado com uma variedade enorme de materiais, como:

  • Polietileno;
  • Borracha
  • Poliéster;
  • Fibras de vidro;
  • Outros.

É um sistema vendido já pré-fabricado, em rolos e aplicado na fase de obra à quente. A manta asfáltica é usada frequentemente em grandes pavimentações, lajes, jardins, calhas, reservatórios e áreas frias.

Obviamente, a manta asfáltica tem suas desvantagens, sendo que sua principal desvantagem é que não podem ficar expostas.

Essas mantas não suportam choques mecânicos ou qualquer tipo de abrasão, ou seja, elas precisam de algum tipo de revestimento para protegê-las. 

Poliureia

Um impermeabilizador que causou bastante reboliço alguns anos atrás, sendo até chamado de revolucionador em alguns segmentos.  A poliureia é um elastômero resistente, e ainda um tipo de impermeabilização flexível.

É possível adquirir esse tipo material através da reação entre isocianeto e poliamina. Ela forma uma camada plástica resistente com forte aderência ao substrato onde é aplicada. Sua aplicação é geralmente por spray e age rapidamente, levando cerca de 2 minutos para curar completamente. Contudo, há a necessidade de trabalhadores especializados para ser usada, já que o produto não permite erros na aplicação.

A aplicação é feita, primeiramente, depois de uma preparação minuciosa. Só depois dessa preparação que a poliureia poderá ser utilizada, mas ainda assim, o ambiente precisa estar com temperatura e umidade controladas. Como podemos ver, na hora da aplicação, a poliureia é um produto extremamente exigente.

Além do poder de impermeabilizar, ela ainda proporciona resistência à abrasão e a produtos químicos, além de aguentar altos níveis de flexibilidade e fortes impactos.

A poliureia é recomendada para locais mais agressivos, e quando digo agressivo, agressivo de fato. Seja para suportar químicas industriais ou até mesmo a abrasão ou o andar das pessoas nas arquibancadas de um estádio.

Contudo, desvantagens existem, afinal, nada é perfeito.

O preço da poliureia é relativamente mais alto em comparação a outros tipos de sistemas de impermeabilização. O acabamento personalizado é praticamente impossível, graças a sua secagem rápida. Além disso, esse produto não pode ser aplicado em locais de difícil acesso, já que seu maquinário de aplicação é um tanto pesado.

Por que se importar com a impermeabilização?

Pois uma obra que não foi impermeabilizada apropriadamente tem vários riscos, tanto de curto como longo prazo. A umidade é um grande inimigo das construções e seus moradores, proporcionando um ambiente doente para os residentes que ali vivem diariamente. 

Os problemas que a umidade pode causar são vários, como:

  • Fissuras: Podem aparecer em qualquer lugar e pioram as infiltrações da água, que por consequência, piora a umidade;
  • Mofo: Fungos adoram locais úmidos, quentes e escuros, são perigosos para a saúde e prejudicam o visual do ambiente, já que a parede com mofo passa uma sensação de abandono;
  • Eflorescência: Durante o processo de cura, após o cimento reagir com a água, o concreto cria vários depósitos de sais. A água, vinda pela umidade do ar ou pela chuva, pode se infiltrar nos poros do concreto e reagir com os sais dentro dele, criando a eflorescência, ocasionando assim a perda de estabilidade e causando danos a armadura.

Encerrando

Como pode ver, a impermeabilização da obra é uma tarefa de extrema importância, contudo, como a obra é feita por várias partes diferentes, foi preciso criar dois tipos de impermeabilizadores. Um desses impermeabilizadores é a impermeabilização flexível.

Como muitas superfícies da construção sofrem muito com abrasões, impactos, dilatações térmicas, entre outros problemas. Então sem impermeabilização flexível, seria impossível combater a umidade em toda a obra, causando vários problemas posteriores, desde as patologias do concreto, até a síndrome do edifício doente.

Por isso, ter conhecimento sobre o que é a impermeabilização flexível e seus tipos, é essencial para ter uma obra bem feita e saudável. E aí? Gostou do texto? Compartilhe nas suas redes sociais ou na sua rede de contato pessoal! Ou então deixe um comentário dizendo o que achou!

Infiltração na laje

Infiltração Na Laje

Infiltração na laje é um problema bastante recorrente, e o qual ninguém gosta, não é mesmo? Pois exatamente por isso nós iremos lhe ensinar a lidar com este tipo de problema!

Chega de sofrer com infiltração na laje, de correr atrás de baldes para parar goteiras, não mais. Nós já falamos antes aqui no site sobre trincas na laje e sobre vazamento na laje, mas a proposta deste artigo será um pouquinho diferente. Aqui neste artigo nós iremos lhe ensinar a como, de uma vez por todas, evitar a infiltração na laje!

Interessado? Pois então é só seguir a leitura!

O que causa a infiltração na laje?

Certo, antes de irmos para a cura, precisamos focar na causa.

A principal causa para a infiltração na laje é que sua laje, que é descoberta, não foi corretamente impermeabilizada. Em coberturas que tenham sido feitas de qualquer maneira a água irá começar a acumular, formando uma bacia que ficará alojada no piso. Como esta água está ali retida, ela irá começar a se infiltrar pelo piso, atingindo seu teto e o cômodo abaixo. Ou seja, no momento que você identificar algo assim, comece o quanto antes a tratar da infiltração e busque por possíveis rachaduras e fissuras.

Mas claro, este não é o único caso de infiltração na laje, confira abaixo tudo o que pode ocasionar isto:

  • A laje não ser impermeabilizada, principal motivo;
  • A impermeabilização até existir, mas ser mal feita;
  • Rachaduras que podem ter sido causadas pelo tempo ou então pela má cura da laje;
  • Intempéries;
  • Falta de manutenção;
  • Telhas que tenham sido quebradas;
  • Calhas que estejam com vazamentos;
  • Pontos na laje em que a água da chuva possa se acumular, como é o caso de rodapés externos a construção;
  • Rachaduras e trincas externas, as quais permitem que água da chuva adentre na laje;
  • Paredes que tenham sido construídas na divisa;
  • Vazamentos em tubulações;
  • Caixas d’água que não possuam o “sistema de ladrão”.

Todas estas são possíveis causas para a infiltração, mas como identificar qual é a causa correta? Simples, com o auxílio de um profissional devidamente capacitado! Aqui não há erro, só um profissional devidamente capacitado irá conseguir encontrar a causa raiz para a infiltração de sua laje, e decidir qual será a melhor tratativa para ela.

Identificando a infiltração na laje

Acima nós falamos da importância de um profissional, porém para identificar a infiltração na laje ele não é necessário, você mesmo poderá fazer isto. Mas a dica aqui é ficar sempre atento aos sinais, para que o problema não se torne grande demais quando você o notar.

E quer saber quais são estes sinais? Pois é simples:

  • Mofo
  • Tinta descascando
  • Bolhas na pintura
  • Manchas pretas
  • Goteiras

Identificou algum destes problemas? Pois sem estresse, agora que você já identificou que há uma infiltração na laje ficará mais fácil de lidar com o problema. E sim, é aqui que entra o profissional capacitado, é ele quem irá avaliar sua laje para definir qual a causa real do problema e como será a tratativa.

Tratando a infiltração na laje

Uma vez que você já sabe o que causa, e como identificar uma infiltração na laje, vamos então para sua tratativa.

E claro, a maneira mais simples de resolver este problema é através da impermeabilização da laje. Há diversos produtos para impermeabilização que permitem que você mesmo faça tal impermeabilização. Claro, a manta asfáltica continua sendo a melhor opção para isto e nós iremos defendê-la sempre.

O ideal aqui é que tal impermeabilização seja devidamente calculada e efetuada no processo de construção da laje, por isto é tão importante contar com um profissional qualificado. Caso você decida por “pular esta etapa” para economizar um pouquinho, você terá problemas graves futuramente, sendo a infiltração na laje apenas um deles.

Sem gastar muito

Mas ok, visando uma solução em que você não gaste muito, nós iremos lhe apresentar uma. Este processo que apresentaremos abaixo só é válido para uma laje recém batida, ou seja, não funcionará se a laje já tiver sido curada. Para tal você precisará de:

  • 1 saco de cimento
  • 20 litros de água
  • 1 litro de cola para construção

Uma vez que você tenha reunido tudo isto é simples, misture todos eles, espalhe esta mistura por toda sua laje e deixe curar. Este é um método “low cost” que é realmente eficaz, não tanto quanto uma manta asfáltica, mas mesmo assim poderá lhe ajudar a evitar infiltrações na laje.

Infiltração por rachadura

A infiltração em sua laje é ocasionada por alguma rachadura? Pois sem problemas, nós te ajudamos a resolver isto também!

Se você pensou que é só tampar a rachadura, está parcialmente certo, isso pois há uma maneira correta de se fazer isto. Para tal você precisará utilizar-se de um produto chamado Pedra Batida. Trata-se de um produto bastante resistente a intempéries, por isto se torna uma excelente opção aqui. E para utilizá-lo é bastante fácil, veja só:

  1. Limpe sua laje removendo lascas de concreto que estejam soltas nas rachaduras
  2. Molhe seu pincel na lata da Pedra Batida
  3. Aplique então seu pincel sobre a rachadura e trincas que estiverem na laje
  4. Aguarde até que tudo seque e pronto!

Viu só como é simples? Basta ter em mãos este produto e seguir o passo a passo e pronto, você acabou de resolver seu problema de infiltração por rachadura.

Para casos mais graves

Demorou muito para perceber a infiltração na laje e agora o problema já tomou proporções gigantescas? Pois sem estresse, apesar de se tratar de algo relativamente sério ainda poderá ser consertado.

Entretanto, nós já lhe adiantamos que a tratativa aqui não será simples, muito pelo contrário. A tratativa aqui será um recapeamento total de toda sua laje, desde o inicio. Este não é um serviço que você conseguirá executar sozinho, havendo a necessidade de contratar mão de obra profissional para tal. Entretanto, quando tudo estiver finalizado você verá que valeu sim a pena!

Conclusão

Após ler este artigo você já é capaz de saber o que causa a infiltração na laje, saber identificá-la e como tratá-la. Mas claro, novamente nós reforçamos a necessidade de contar com um profissional devidamente capacitado. Apenas ele será capaz de avaliar sua laje, identificar a causa do problema e qual sua melhor tratativa. Muitas das vezes tentarmos resolver as coisas por nós mesmos pode acabar piorando ainda mais o problema!

Dúvidas? Pois basta perguntar! E caso tenha gostado do artigo e conseguido tirar suas dúvidas com ele, então não deixe de compartilhá-lo com seus amigos e conhecidos, nunca se sabe quem você poderá acabar ajudando no processo.

Produtos Para Impermeabilizar Laje

Produtos Para Impermeabilizar Laje

Neste artigo nós traremos para você algumas opções de produtos para impermeabilizar sua laje. Bem como o seu valor, características e onde você poderá comprar cada um destes.

Entretanto, é sempre bom focarmos que existem dezenas de produtos para impermeabilizar laje no mercado, sendo assim, quando for procurar por algum foque nos mais modernos. Isso pois focar nos mais modernos irá lhe ajudar a adquirir sempre as novas tecnologias, aquelas focadas em durabilidade e eficiência, além de uma aplicação mais segura e fácil.

Pronto para anotar alguns dos produtos para impermeabilizar sua laje? Pois então é bom ter o caderninho de anotações em mãos e vamos lá!

Os principais produtos para impermeabilizar sua laje

Certo, vamos começar dizendo que a manta asfáltica é sem dúvidas um dos principais produtos para impermeabilização. Além da manta asfáltica, há também as mantas líquidas e as mantas autoadesivas. Com relação as autoadesivas, elas possuem a vantagem de ser uma aplicação a frio, destaque para o sistema de manta fria, as quais tem como opção:

  • R-Reforçada Utilizada para lajes que serão transitáveis, sobre as quais irá se construir piso e contrapiso;
  • M-Moldável Utilizada em tubos emergentes, ralos e em outras superfícies complexas;
  • A-Alumínio – Utilizada em lajes que não serão transitáveis, que estarão expostas ao sol e que serão protegidas com folhas de alumínio puro;
  • B-Baldrame – Utilizada em baldrames, alicerces e em paredes enterradas.

Quer conhecer alguns outros produtos para impermeabilizar sua laje? Produtos que você encontra nas lojas de construção perto de você? Pois então vamos nessa!

Impermeabilizante Vonder

Este impermeabilizante é indicado para proteção contra umidade, e em superfícies de alvenaria e concreto, tais como muros de arrimo e baldrames, formando uma manta asfáltica.

Sobre este produto:

  • Sua aplicação é fácil
  • Antes de aplicar, confira se a superfície está limpa, sexa, sem poeiras, graxa e outras coisas
  • Uma lata de 18 litros rende aproximadamente 36 m², considerando 2 demãos
  • Trata-se de um produto que é pronto para o uso, não havendo necessidade de ser diluído
  • Você pode utilizá-lo também em madeira e em metal

E atenção, após aplicar o produto e sua eventual secagem, é importante que o local que foi impermeabilizado não fique exposto, seno obrigatório realizar um contra-piso ou nata de cimento, no caso de lajes, e reboco ou chapisco, no caso de muros.

Impermeabilizante Recubriplast

Este impermeabilizante é perfeito para lajes, telhados e coberturas em geral. Caso você o aplique nas condições que são recomendadas, após o período de cura, irá se formar uma película elástica, monolítica, autolávavel, impermeável, com alta aderência e resistente aos raios UV. Ainda será possível que haja um trânsito leve de pessoas no local, bem como a colocação de materiais de acabamento como pisos e contra-pisos.

Sobre este produto:

  • Este produto tem como intuito proteger coberturas planas, inclinadas ou arredondadas, tais como lajes, terraços, varandas, sacadas, calhas, jardineiras, telhas de barro ou cimento, etc.
  • Este produto adere perfeitamente em substratos de alvenaria, aço galvanizado, fibrocimento, madeira, papelão, isopor, reboco, blocos de barro ou de cimento, drywall, placas cimenticeas, tijolos e qualquer substrato que apresente porosidade o suficiente para a ancoragem do produto.
  • Atenção: Não aplique este produto sobre cerâmicas esmaltadas
  • Ele também poderá ser utilizado como impermeabilizante em caixas d’água

Impermeabilizante Vedalaje

O Vedalaje trata-se de um produto em pó com o intuito de impedir que a umidade, a infiltração e também o mofo atinjam a sua laje. Este produto rende bem mais do que os impermeabilizantes comuns, pois se trata de um hidrofugante nanotecnológico.

Sobre este produto:

  • O Vedalaje é produzido em solo nacional
  • Ele rende em média 11 m² por demão
  • Este produto é exclusivo para lajes que não apresentam um fluxo de pessoas em cima dela
  • E atenção: Uma hora após você aplicar o Vedalaje é necessário que você realize a irrigação/cura da laje, além de mantê-la úmida por cerca de 48 horas, de modo a evitar problemas com secagem rápida

Manta asfáltica adesiva aluminizada

A manta asfáltica adesiva aluminizada é um dos materiais que são mais utilizados, para as mais diversas situações. Este produto é indicado para todos os tipos de reparos, eliminando goteiras ocasionadas por trincas, furos ou fissuras. Você pode utilizá-lo em todos os tipos de telhados, restauração de toldos, carrocerias de caminhões, lonas, baú, containers, furgões, caixas d’água, etc.

Sobre este produto:

  • Poderoso adesivo a base asfáltica que possui a capacidade de aderir a diversas superfícies, sejam elas quente ou frias
  • Não há necessidade de mão de obra especializada para sua instalação, nada de maçarico também (pois é aplicada a frio), basta que você retire o filme protetor que envolve o adesivo e a aplique no local, ou seja, economia grande com instalação aqui
  • A utilização do Primer é recomendada para se alcançar uma melhor aderência
  • O fabricante deste produto é líder no setor de manta asfáltica, sendo conhecido pela alta qualidade de seus produtos

Conclusão

Agora que você já conhece algum dos principais produtos para impermeabilizar laje que existem no mercado, qual destes você irá comprar para sua obra? Mas é sempre bom lembrar que não há realmente um melhor do que o outro, apenas produtos diferentes para situações diferentes. Situações estas que necessitam ser analisadas separadamente, ou seja, com a ajuda de um profissional devidamente capacitado.

E então, dúvidas? Pois basta perguntar! E caso tenha gostado do artigo e conseguido aprender algo com ele, então não deixe de compartilhar com seus amigos e conhecidos, nunca se sabe quando alguém pode estar precisando de uma mãozinha!

proteção mecânica manta asfáltica

Proteção Mecânica Manta Asfáltica

Neste artigo nós iremos abordar a relação da proteção mecânica com a manta asfáltica.

A proteção mecânica e a manta asfáltica são dois elementos que costumam andar de mãos dadas nas obras em geral. Nós já falamos aqui mesmo no Master Plate sobre a manta asfáltica, ou seja, nós não iremos nos aprofundar aqui na manta asfáltica, mas sim em sua relação com a proteção mecânica.

Com isto dito, vamos então focar no que é a proteção mecânica, e como ela se relaciona com a manta asfáltica.

E então, vamos começar?

A proteção mecânica e a manta asfáltica

Antes de mais nada, você sabe dizer o que é a proteção mecânica? É ela a responsável por garantir a durabilidade e a proteção do sistema impermeabilizante que você for utilizar, que no caso deste artigo se trata da manta asfáltica.

Esta proteção se compõem de argamassa de cimento e areia, emulsão adesiva, e caso o projeto exija, ela deverá ser estruturada com uma tela.

Para fugir um pouco das lajes, que é nosso tema mais recorrente por aqui no site, vamos focar nas piscinas. Caso você deseje realizar a impermeabilização de uma piscina com a manta asfáltica, é extremamente recomendado o uso da proteção mecânica estruturada com tela, e de preferência uma tela plástica, uma vez que os materiais ficarão submersos na água tratada, seja ela aquecida ou não. Ou seja, ela terá a finalidade de suportar o peso da proteção mecânica, evitando assim que ocorram tensões, que poderiam causar o desprendimento da proteção mecânica do substrato.

E claro, uma vez que nós já começamos falando sobre piscinas, é bom salientarmos que trata-se de um trabalho relativamente simples. Você poderá realizá-lo seguindo estes passos:

  • Verifique se há a necessidade de utilizar juntas de movimentação;
  • Efetue o chapisco;
  • Coloque a tela plástica;
  • Deixe uma folga de ao menos 70 cm em direção ao deck para a ancoragem;
  • Cubra a tela com argamassa, a espessura deve estar por volta de 3 cm;
  • Aplique o material de revestimento.

Um exemplo de aplicação de ambos

Talvez ainda tenha ficado um pouco difícil para entender o papel de ambos em conjunto da proteção mecânica e da manta asfáltica. Então, nada melhor do que te ajudarmos com um exemplo prático, não é mesmo? Acompanhe:

Vamos supor que você impermeabilize sua laje com a manta asfáltica. Após esta impermeabilização (a qual nós já explicamos o passo a passo aqui mesmo no site e você poderá acessar apenas clicando aqui), e da posterior realização do teste de estanqueidade, é chegado o momento de executar uma camada de proteção mecânica. Execute esta camada com uma argamassa de traço 1:3 ou então 1:4 (traço – cimento:areia) e a aplique sobre a camada de impermeabilização, esta terá a função de protegê-la contra eventuais danos mecânicos. Ela também é utilizada como proteção contra raios ultravioletas, que podem causar danos a sua manta asfáltica, tornando-a menos resistente e menso elástica.

Ou seja, nós já falamos antes sobre as desvantagens da manta asfáltica, e se você tiver lido nosso artigo estará ciente sobre quais são. A utilização da proteção mecânica juntamente a manta asfáltica poderá lhe ajudar a mitigar um pouco destas desvantagens.

Você ainda terá a opção de executar a proteção mecânica sobre um isolamento termo-acústico, seguindo as seguintes etapas:

  • Disposição das placas de isopor sobre toda a extensão da manta asfáltica
  • Cobertura de toda a camada de isopor por uma manta geotextil (bidim)
  • Distribua a argamassa de contrapiso sobre toda a manta geotextil. Esta manta terá a função de facilitar reparos futuros na camada de proteção mecânica, sem com isso afetar todos os demais elementos deste sistema (isolamento e impermeabilização)
  • Distribua e nivele a argamassa com o auxílio de um rodo de madeira
  • Lembrando que você também poderá se utilizar de argamassa industrializada, a qual chegará até sua obra em um caminhão betoneira, e será bombeada até o local de aplicação

Mas claro, muitas vezes apenas a leitura não é suficiente para um bom entendimento do tema. Mas fique tranquilo, nós já temos isto em mente. Ou seja, abaixo você poderá conferir um vídeo sobre a proteção mecânica da manta asfáltica sendo aplicada em uma construção, é só dar o play:

Conclusão

Então agora você já tem uma boa noção da importância da proteção mecânica ser utilizada juntamente com a manta asfáltica, não é mesmo? Mas claro, apenas este conhecimento não te exime da responsabilidade de contratar apenas profissionais devidamente capacitados, muito pelo contrário. Uma vez que você tenha plena noção da importância, então mais do que nunca sabe da importância de ambas serem executadas de maneira correta.

E então, dúvidas? Pois basta perguntar! E se tiver aprendido algo depois de ler este nosso artigo, então não deixe de compartilhá-lo com seus contatos, nunca se sabe quem você pode acabar ajudando neste processo!

Trincas na laje

Trincas Na Laje

Trincas na laje podem ser um problema sério, e que requer uma atenção imediata de sua parte, para que a situação não se agrave mais ainda. Mas mantenha a calma, aqui nós iremos lhe ensinar exatamente o que fazer!

Mais do que isto, neste artigo nós iremos lhe mostrar o que realmente são as trincas na laje, seus causadores e o que fazer numa situação destas. Preparado para aprender a lidar com trincas na laje? Pois então é só continuar a sua leitura!

Mas são realmente trincas na laje?

Você sabe qual a diferença entre trincas, fissuras e rachaduras? Não? Pois então vamos começar focando isto!

Já começamos dizendo que não, não é tudo a mesma coisa, existe sim uma diferença. E isso não somos nós quem estamos dizendo, mas sim a NBR 9575 – Impermeabilização – Seleção e projeto. De acordo com esta Norma:

  • As microfissuras possuem uma abertura inferior a 0,05 mm
  • As fissuras são aberturas que possuem até 0,5 mm
  • As trincas são aberturas que estão entre 0,5 até 1,0 mm
  • Acima disto nós chamamos de rachaduras, que se trata de um termo mais coloquial

Mas calma, a classificação das fissuras não termina por aí, ainda temos de saber se elas são passivas ou ativas. Uma abertura tida como ativa é aquela que varia conforme mudanças de tensões, como por exemplo a dilatação e a contração térmica. Agora, caso a fissura não varia com o decorrer do tempo, então ela é tida como passiva.

Mas uma coisa é certo, não importa muito o tamanho ou se é ativa ou passiva, trincas e fissuras são indicativos de que algo está errado.

Trincas na laje e o que fazer a respeito

Abaixo nós iremos lhe apresentar os principais fatores que podem ocasionar trincas na laje, e o que você deverá fazer em cada caso.

É importante se ter em mente que nem toda trinca na laje representa um problema grave. O ideal aqui é ficar atento para se a trinca estiver aumentando ou não, fique de olho também se esta trinca não está em uma parte estrutural de sua casa, pois isto sim pode significar um risco.

Recalque da fundação

Este é um dos problemas mais comuns para trincas e fissuras. Aqui seu principal indicador são as fissuras que formam um ângulo aproximado de 45º nos cantos das portas e janelas. Este tipo de problema ocorre quando há uma diferença de adensamento no solo, o que faz com que partes de sua edificação “rebaixem”. Quanto maior esta diferença, maior o problema que você terá em mãos para lidar.

Mas não precisa se alarmar, isto pois este tipo de coisa já é previsto, devido ao fato de ser praticamente impossível a previsão de todos os recalques da fundação. É exatamente por isso que as vergas e contravergas nas janelas e portas são feitas, para minimizar este tipo de impacto. Entretanto, quando estas fissuras começam a aumentar mais e mais é hora de ficar em alerta. Isso pois este tipo de abertura é ponto crítico para infiltração, podendo comprometer sua parede e laje tanto externamente quando internamente. Ou seja, quando maior a trinca, mais sério o problema!

E o que fazer então? A primeira coisa a se fazer é identificar qual é a causa e a real gravidade deste problema. O normal aqui é tomar os devidos cuidados de correção, bem como a selagem destas trincas e fissuras, em especial para acabar com problemas de infiltração.

Retração do concreto

Sabe quando dissemos sobre a importância de realizar a cura na laje? Pois é, isto é realmente importante. Durante este processo de cura, perder água muito rapidamente pode causar retração e consequentemente o surgimento de fissuras e trincas na laje. Exatamente por isto é sempre necessário manter a superfície de sua laje úmida logo após sua concretagem. E da mesma maneira, prazos de execução para trabalhos de reboco e emboço deverão obedecer a todas as recomendações previstas nas normas técnicas, de maneira a evitar problemas com trincas.

Fissuras e trincas ocasionadas por embosso e reboco devido a retração excessiva do concreto durante o processo de cura não significa um risco estrutural, porém pode acabar comprometendo todo o revestimento e acabamento final. Agora, com relação especificamente as lajes, fissuras podem acabar representando pontos críticos que podem levar à exposição de armaduras e a riscos estruturais.

E o que fazer então? As fissuras e trincas estão perceptíveis? Então o melhor aqui é refazer todo o revestimento, mas desta vez respeitando de verdade os prazos que são estabelecidos em Norma. Mas, se houver fissuras em elementos estruturais, a recomendação aqui é que você busque a ajuda profissional para fazer a avaliação real dos riscos.

Variação térmica

Esta é a causa mais comum para o surgimento de fissuras e trincas na laje. A variação térmica causa a contração e dilatação dos materiais e, caso as juntas de dilatação não sejam feitas, é aí que surgem as trincas e as fissuras. Este tipo de patologia pode ser observada mais claramente nas paredes e no teto, onde sua incidência é maior. É bastante comum observar as fissuras e trincas ocorrerem próximas do encontro da alvenaria com a laje.

Aqui novamente, estas trincas e fissuras já são, em cer level, esperadas. Agora, é bom ficar atento ao aumento constante, isto definitivamente não pode acontecer. É importante aqui a análise de um profissional, para que o mesmo possa identificar as causas destas fissuras e avaliar seu comportamento.

E o que fazer então? Caso você não tenha feito as juntas de dilatação lá atrás, no processo de execução da estrutura, então você terá de fazê-las neste momento. Isso pois as juntas funcionam como se fossem um ponto de alívio de tensões, sendo que a estrutura poderá se movimentar sem que com isso a estabilidade e a segurança da edificação sejam comprometidas.

Um pequeno passo a passo para se seguir

Talvez a leitura acima tenha ficado um tanto quanto confusa sobre o que fazer com relação a trincas na laje, e exatamente por isto lhe trazemos um pequeno passo a passo abaixo. Acompanhe:

1 – Observando a trinca

Identifique se realmente se trata de uma fissura ou trinca (de acordo com o seu tamanho), em seguida remova as partes soltas e a poeira do local. Para retirar as sujeiras daquela trinca, utilize um estilete, uma espátula de formato V ou então uma escova rotativa.

2 – Protegendo as bordas

Antes de aplicar o selante (sim, você precisará de um), proteja as bordas da cavidade, com isto a limpeza pós trabalho será mais rápida e fácil. Passe a fita adesiva aos arredores da trinca, proteja a superfície para caso você acabe se excedendo com relação a quantidade de material aplicado.

3 – A profundidade desta fissura

No interior da cavidade das juntas torna-se necessário inserir o corpo de apoio, sendo ele o responsável para delimitar a profundidade deste selamento. O corpo de apoio trata-se de uma espuma cilíndrica feita de polietileno expandido, bastante utilizada para selantes nas juntas de dilatação. Ela também é utilizada como um elemento de fixação, para a colocação de vidros em caixilhos ou nas divisórias em geral.

4 – Aplicando o primer

Aplicar o primer é importante para a ancoragem do selante. Você poderá aplicá-lo com um pincel, um rolo ou então uma escova. Uma única camada fina já é o suficiente para que você promova a aderência de selantes de juntas em substratos cimentícios, bem como aplicações submersas após a cura do primer e também do selante. O tempo de secagem varia de 2 a 5 minutos.

5 – Preparando o selante

Para resolver a trinta na laje, o Selante PU30 quartzolit é o mais indicado. A orientação para este selante é:

  • Corte o bico injetor da embalagem deste selante, sempre de acordo com a abertura da junta;
  • Rompa o lacre e encaixe a bisnaga num aplicador universal;
  • Após isto, aplique a solução do fundo para a borda da junta, assegurando o preenchimento total e o contato completo com as bordas;
  • Já para o acabamento, o melhor é utilizar uma espátula. Para facilitar o procedimento, esta ferramenta poderá ser umedecida com um detergente neutro, e assim garantir a regularidade da superfície.

6 – Finalizando

Para finalizar, basta remover as fitas de proteção das bordas imediatamente após a execução do acabamento. Caso você não faça isto, o processo será muito mais trabalhoso e poderá danificar toda a superfície.

Conclusão

Agora você já tem uma boa noção do que fazer quando surgirem trincas na laje, não é mesmo? E, apesar de também saber identificá-las, ainda sim é muito importante contar com a ajuda de um profissional da área. Somente ele poderá analisar e julgar qual o tratamento ideal para aquele tipo de trinca.

Dúvidas? Basta perguntar! E caso tenha gostado e aprendido algo com este artigo, não deixe de compartilhá-lo com seus amigos e conhecidos, nunca se sabe quem você poderá acabar ajudando no processo!

Manta Asfáltica

Vantagens e Desvantagens da Manta Asfáltica

Neste nosso artigo nós iremos abordar todas as vantagens e desvantagens da manta asfáltica. Assim você poderá colocar ambas numa balança e analisar se é ou não válido para você utilizar a manta asfáltica em sua obra.

Entretanto, é sempre bom frisarmos que por mais que descrevamos todas as vantagens e desvantagens da manta asfáltica, cada obra deve ser analisada separadamente. Algo que seria desvantagem da manta asfáltica em determinada situação pode acabar se apresentando uma vantagem na sua obra em específico, e vice-versa.

Então como você pode saber quando utilizá-la? Simples, correndo atrás de um engenheiro para conseguir uma opinião especializada!

Mas, antes que você corra atrás de um engenheiro, vamos para as vantagens e desvantagens da manta asfáltica.

Primeiramente, o que é a manta asfáltica?

Antes de passarmos para as vantagens e desvantagens da manta asfáltica, vamos te ajudar a entender o que realmente ela é.

A manta asfáltica nada mais é do que um revestimento, utilizada como opção de impermeabilização para sua laje, uma das melhores opções para isto. E sim, a impermeabilização é uma prática extremamente importante e necessária, e mesmo que você decida utilizar algum outro tipo de impermeabilização que não a manta asfáltica, ainda assim é necessário impermeabilizar sua laje.

A manta asfáltica possui um total de cinco camadas. Sua primeira camada é um filme de polietileno, caracterizando sua face externa. Após isto vem a sua camada de asfalto modificado, camada esta perfeita para a impermeabilização de espaços. Em seu centro há um material estruturante, que geralmente se trata de um filme de poliéster ou polietileno. Após isto sua quarta camada é de asfalto modificado. E finalmente sua última camada, seu acabamento, pode ser feita de alumínio, polietileno ou algum outro material.

A NBR 9952 – Manta asfáltica para impermeabilização é responsável por regular a utilização da manta asfáltica no Brasil. Através dela é possível encontrar orientações de segurança, bem como para a aplicação da manta sobre telhados e lajes.

Caso queira aprender o passo a passo para a instalação da manta asfáltica, não deixe de conferir nosso artigo sobre Como Impermeabilizar Sua Laje.

Vantagens e Desvantagens da Manta Asfáltica

Certo, agora que você já entende o conceito de manta asfáltica, vamos abordar suas vantagens e desvantagens, para que assim você consiga pesar ambos e ver se sua utilização é ou não vantajosa para você. Mas reforçamos o fato de que, caso você não decida por utilizar a manta asfáltica, mesmo assim providencie algum tipo de impermeabilização para sua laje!

Vantagens da Manta Asfáltica

Antes de falarmos das vantagens, é bom lembrarmos que seu uso é aconselhável para estruturas que estão sujeitas a fissuras e a movimentações.

Com isto dito, podemos dizer que a manta asfáltica é ótima para períodos chuvosos, os quais acabam danificando a maioria das lajes e telhados, gerando vazamentos, mofo, infiltrações, umidade, etc. Todos estes problemas causam dano não apenas a construção, mas também a saúde dos moradores locais. Ou seja, se utilizando da manta asfáltica você poderá inundar sua laje que não sofrerá consequências por isto.

Outro ponto positivo da manta asfáltica se dá pela sua flexibilidade, além de sua alta resistência a fissurações. Ou seja, no caso de variações térmicas bruscas você não precisará se preocupar, pois a manta asfáltica irá resistir muito bem, sem o surgimento de rachaduras ou a perda de sua capacidade.

E claro, caso sua instalação seja bem feita, sua manta poderá durar por até 20 anos!

Desvantagens da Manta Asfáltica

Nem tudo é um mar de rosas, e as desvantagens apresentadas pela manta asfáltica podem chegar a desanimar qualquer um…

A começar pelo seu período de vida. Acima dizemos que ela pode durar até 20 anos (informação esta disponibilizada pelos fabricantes), mas na verdade não é bem assim. Na verdade a sua vida útil de estanqueidade varia de 5 a 10 anos, devido ao fato de que, com o passar do tempo a manta se torna quebradiça e vai perdendo sua flexibilidade, podendo até mesmo começar a apresentar vazamentos e infiltrações.

E o que você pode fazer neste cenário? A troca completa de toda a manta asfáltica! A troca completa é necessária pois é praticamente impossível identificar o ponto exato do problema. Ou seja, este é um gasto que você já deverá contar quando optar pela utilização da manta asfáltica.

E ainda falando em gastos, o custo com a manta asfáltica costuma ser mais elevado do que ao se utilizar algum outro tipo de sistema. Claro, aqui não estamos falando apenas do custo do material (o qual é relativamente barato), mas sim o custo acoplado da contratação de mão de obra especializada, a qual você precisará. Adicione também aqui o custo relativo a troca do sistema após o tempo determinado acima.

E, já que tocamos no assunto de mão de obra especializada, este é outro fator que se apresenta como uma desvantagem do sistema. Se tratando da manta asfáltica, cujo processo de aplicação é relativamente complexo e caso ocorra falhas deve ser recomeçado do zero, a contratação de mão de obra especializada é necessária. Caso decida fazer você mesmo, poderá acabar gastando mais ainda ao menor índice de falhas.

Qual o valor da manta asfáltica?

Nós citamos acima que seu valor é relativamente barato, e claro que não poderíamos terminar este artigo sem dizermos qual é este valor.

É claro que o seu custo varia de acordo com o tipo de manta pretendida, a região que você se encontra e onde você irá comprá-la. Entretanto, mesmo assim podemos definir um valor médio para a manta. Um rolo de manta com 10 m² e com 3 mm de espessura tem um valor aproximadamente de R$ 180,00. E como saber quanto de manta você precisa comprar? Estima-se uma média de 1,15 m² de manta asfáltica para cada m² de sua superfície. Mas claro, este é apenas um cálculo aproximado, sendo que o melhor aqui é consultar um profissional qualificado para avaliar a quantidade exata necessária.

Conclusão

Agora você já tem uma boa noção de quais são as vantagens e desvantagens da manta asfáltica, não é mesmo? Se ela é ou não a mais indicada para você vai depender inteiramente de sua construção. Pese os prós e contras e faça sua decisão, mas claro, o melhor aqui é que esta decisão seja tomada com o auxílio de um engenheiro ou arquiteto qualificados, tendo em vista que a impermeabilização de uma obra deve ser definida o quanto antes.

Dúvidas? Basta perguntar, estaremos prontos para lhe responder! E caso tenha gostado e aprendido algo novo com este artigo, então não deixe de compartilhá-lo com seus amigos e conhecidos, espalhar conhecimento é sempre algo bom de se fazer, e nunca se sabe quem poderá estar precisando!

Vazamento na laje

Vazamento Na Laje – O Que Fazer?

Não há nada pior do que um vazamento na laje, não é mesmo? Eis que você está andando tranquilamente em sua casa quando de repente cai um pingo exatamente na sua testa… Não há como não se enfurecer!

Mas calma, há sempre uma maneira de resolvermos tudo! Pois é exatamente isto que iremos te mostrar aqui, como você poderá lidar com o vazamento na sua laje da melhor maneira possível!

Então, se você quer saber a melhor maneira de lidar com um vazamento na laje, é só continuar a leitura!

Identificando o vazamento na laje

Nem sempre será tão simples como uma gota direto na testa, mas ainda assim há meios de descobrir se há ou não um vazamento em sua laje.

Uma infiltração, principalmente em uma laje de concreto, é algo que acontece com bastante frequência. A primeira coisa a se atentar é com o surgimento de bolhas que surgem na pintura da superfície, manchas pretas e em situações mais extremas é possível identificar mofo e tinta descascando. Agora, se a infiltração for causada por uma rachadura, aí sim é possível ver uma goteira.

Conseguiu identificar algum destes sintomas na sua laje? Então provavelmente há um problema nela! Mas nós ainda precisamos saber qual é este problema, sendo que os mais comuns são:

  • A falta de impermeabilização em sua laje;
  • Rachaduras que podem ter sido provocadas ou pelo tempo ou pela cura ruim da laje;
  • Intempéries e a falta de uma manutenção na impermeabilização.

Como identificar qual destes é o caso de sua laje? O melhor mesmo seria procurar a opinião de um profissional qualificado, ou então de uma empresa que seja especialista neste assunto, somente eles poderão avaliar sua laje e dar o diagnostico real.

Evitando as infiltrações

A melhor maneira de evitar o vazamento em uma laje é a preventiva!

Ou seja, é sempre melhor se atentar para as infiltrações no momento em que sua laje estiver sendo construída. E como você pode fazer isto? Simples, basta que você impermeabilize sua laje! Clique no link e veja nosso tutorial lhe ensinando a como fazer isto.

Entretanto, ainda há um segredinho milenar que você pode fazer uso. Você poderá criar um impermeabilizante você mesmo, com a ajuda de cimento, água e cola de construção você poderá livrar sua laje de infiltrações por um longo tempo.

Mas um aviso, você deverá utilizar este procedimento somente com sua lajem recém-batida e antes que ela esteja curada. E para fazer é bastante simples: Para cada saco de cimento você irá misturar um litro de cola para madeira (ou então para construção) e também 20 litros de água. Após isto, e com a ajuda de uma vassoura, espalhe bem a mistura por toda sua laje e deixe curar.

Como lidar com o vazamento na laje

Certo, vamos então abordar o ponto máximo deste artigo: como lidar com o vazamento na laje. Antes de mais nada é importante dizermos que, dependendo de para que você perguntar, a resposta será variada. Haverá até mesmo profissionais que irão lhe garantir que a única maneira possível é construindo um telhado por cima da laje, mas não é bem assim…

Abaixo iremos lhe apresentar mais de uma maneira diferente para lidar com o vazamento de sua laje, caberá a você, juntamente com um engenheiro especializado, escolher qual a melhor.

Infiltrações causadas por rachaduras

Um vazamento na laje por rachadura? Teoricamente é só fechar a rachadura e pronto, mas você sabe dizer qual a maneira correta de fechar esta rachadura?

E se você só colocar um piso sobre a rachadura e pronto? Não é bem assim… Se você apenas fizer isso, o máximo que irá conseguir será retardar a infiltração, porém ela ainda assim irá ocorrer.

O ideal mesmo é tapar tapar esta trinca com produtos específicos para esta função, como o “Pedra Batida” por exemplo, que promete te ajudar justamente com isto. E claro, se quiser dar uma conferida em um vídeo do canal “O pulo do gato na construção”, então é só dar o play abaixo para resolver de uma vez por todas este tipo de probema:

Problemas mais graves com vazamentos

Mas agora, se o problema chegou a um nível considerado crítico, onde os vazamentos estão por toda a laje e não apenas em uma ou outra rachadura, o método acima não irá lhe ajudar tanto assim.

A ideia aqui é evoluirmos em qual produto será utilizado, e uma boa opção é irmos diretamente para o Rebotec. Claro, existem outros produtos com esta mesma proposta que você poderá optar por utilizar mas, independente de qual escolher, o recapeamento de sua laje será necessária. Para entender bem como é este processo de recapeamento, sugerimos novamente que você dê uma leitura em nosso artigo sobre como impermeabilizar sua laje!

Mas claro, antes de quaisquer decisões, o melhor a se fazer é entrar em contato com um engenheiro para um opinião especializada.

Resolvendo o vazamento na laje com poliuretano

Uma outra maneira que você poderá recorrer para lidar com o vazamento na laje é se utilizando de um sistema de aplicação de vedação com poliuretano. Por se tratar de um material resistente, e cuja composição apresenta diversos itens abrasivos e protetor da ação de raios ultravioletas, este material é bastante indicado, e também utilizado, para este tipo de aplicação.

Este material é bastante empregado para vedação de lajes pois permite uma alta flexibilidade, possibilitando uma boa absorção de movimentos estruturais e térmicos, ou seja, você poderá utilizá-lo tanto como mante térmica ou então no formato de spray.

Conclusão

Agora você já sabe né, da próxima vez que tiver andando distraído e uma gota atingir o topo de sua cabeça, já sabe o que fazer para lidar com o vazamento na laje. Melhor ainda, não espere até isso ocorrer, confira o quanto antes o estado da sua laje para começar a agir. Ah, e não se esqueça também da importância de contar com um profissional qualificado, somente ele poderá lhe fornecer uma opinião especializada sobre a real gravidade de sua laje e o método que irão seguir para o tratamento.

Dúvidas? Basta perguntar! E caso tenha gostado e aprendido algo com este artigo, não deixe de compartilhá-lo com seus amigos e conhecidos, nunca se sabe quem podemos acabar ajudando com este simples ato!

O que é impermeabilização

O Que É Impermeabilização?

Você é um aluno procurando saber o que é impermeabilização? Ou apenas uma pessoa querendo construir sua casa para evitar umidade? Ou será então apenas um curioso? Seja lá o que você for, sua procura acabou! Nesse texto falaremos sobre o que é impermeabilização, os tipos e até os materiais mais usados!

Tudo pronto?

Então vamos nessa!

O que é impermeabilização

É muito bom ter a sua casa própria. Principalmente para aqueles que querem ter uma família ou uma casa feita totalmente do jeito que você imaginou. Ah…! Realmente um sonho maravilhoso. Entretanto, existe um grave perigo à espreita que pode estragar os seus sonhos… Sabe qual perigo que é?

INFILTRAÇÕES E UMIDADE!

Infiltrações e umidade são alguns dos maiores vilões de qualquer tipo de construção, causando estragos de longo e curto prazo, ainda podendo causar doenças aos habitantes. Então como você pode se proteger disso? Uma das melhores maneiras de se proteger contra esse mal na sua casa é pelo poder da impermeabilização.

Mas o que é impermeabilização?

Imagine que a obra é a sua base que precisa ser protegida contra os inimigos querendo dominá-la e destruí-la. O inimigo são as infiltrações, umidade e água. Qual é então o melhor jeito de protegê-la contra tais inimigos?

Usando a impermeabilização como barreira! Isso acontece porque a impermeabilização é um processo que torna a estrutura resistente à água, bloqueando a entrada de umidade a partir de uma formula química especifica, formando uma poderosa barreira física para água ou qualquer outro tipo de líquido.

Assim, além de repelir as forças inimigas citadas anteriormente, ainda evita que a umidade seja absorvida por móveis, esquadrias, estruturas, roupas, etc.

Além disso, essa barreira protege toda a superfície das fundações, telhados, paredes e qualquer outro tipo de área estrutural de um edifício, bloqueando qualquer entrada possível de água na obra, prevenindo contra vários tipos de problemas. Tornando-a impermeável e garantindo a durabilidade da construção.

Saiba que o processo de impermeabilização é algo essencial para qualquer construção, já que os principais materiais (como o cimento ou a madeira) sofrem muito com a umidade diariamente, especialmente em regiões de clima úmido.

O quão importante é a impermeabilidade

Nem preciso dizer que vazamentos de água causam umidade na construção, favorecendo um ambiente úmido, desconfortável e deteriorante. Afinal de contas, a umidade é basicamente o vapor d’água dentro do ambiente. Mas não é apenas isso, ainda pode causar muitos outros problemas, como:

  • Patologias do concreto;
  • Corrosões;
  • Ferrugem;
  • Aumento de agentes patogênicos, como bactérias e mofo;
  • Calor (quanto maior a umidade, mais quente é);
  • Agravação de doenças existentes (graças ao mofo);
  • E muitos outros!

Como você pode ver, a impermeabilidade tem uma enorme importância, tanto para a construção quanto para os seus residentes. Isso pois ela garante uma segurança, saúde e mais conforto para as pessoas que ali vivem diariamente.

Conhecendo os tipos de impermeabilização

Os impermeabilizantes são aplicados em diversas partes da obra, porém, para conseguir fazer isso, um tipo só não consegue englobar toda a construção.

Afinal, uma construção tem muitas partes! Temos a fundação, calhas, piscinas, lajes, áreas expostas molháveis, subsolo, reservatório, etc.

Ou seja, como cada uma dessas partes da construção possuem características próprias, elas também precisam de impermeabilizantes próprios! Atualmente, podemos dividir os impermeabilizantes em dois tipos diferentes: Impermeabilização rígida e impermeabilização flexível.

Impermeabilização rígida

Esse tipo de impermeabilização é recomendado para áreas que não tenham risco de terem trincas, fissuras ou condições de temperatura constante, sem se alterar com frequência ou bruscamente.

Geralmente é composto por aditivos químicos incorporados na argamassa, ou então ao concreto na hora da cobertura. Ele pode ser aplicado em locais como:

  • Poço de elevador;
  • Subsolo;
  • Galerias;
  • Pisos internos em contato com o solo;
  • Contenções.

Impermeabilização flexível

Ao contrario da impermeabilização rígida, a impermeabilização flexível permite a aplicação em estruturas onde existam mudanças de temperaturas ou em assentamentos de água. Ela funciona como uma proteção que absorve movimentos sem danificar a camada impermeabilizante. Alguns dos locais mais recomendados para se aplicar esse produto são:

  • Terraços;
  • Varandas;
  • Coberturas;
  • Lajes.

Materiais impermeabilizantes

Agora que conhecemos os tipos, vamos para os materiais. Os principais são:

Cimento polimérico

O material Impermeabilizante mais usado no Brasil, e também o mais fácil para proteger a construção contra a umidade. Esse cimento é um revestimento do tipo rígido e semi-flexível, sendo um material não recomendado para áreas que se expandem. Pode ser aplicada em lugares como:

  • Muros de arrimo;
  • Reservatórios;
  • Poço de elevador.

Manta asfáltica

Outro material impermeabilizante bastante comum. A manta asfáltica é do tipo flexível e feita usando filamentos de poliéster ou véu de fibra de vidro, aliás, é por esse fato que ele tem alta resistência contra fissuras ou movimentações.

Sua aplicação pode ser feita em lugares como:

  • Baldrame;
  • Lajes;
  • Banheiros;
  • Terraços;
  • Cozinhas;
  • Piscinas;
  • Varandas.

Membrana moldada no local

Esse tipo de técnica é recomendado para locais de acesso difícil ou de espaços pequenos, como lajes pequenas ou áreas molháveis. O curioso desse tipo técnica é pelo fato de ser um líquido que é aplicado quente ou frio diretamente no local. Assim que esse líquido seca, ela se transforma numa membrana flexível.

Escolhendo o melhor para você

A escolha do tipo de impermeabilização para sua casa dependerá de muitos fatores, como:

  • Condições do arcabouço;
  • Teor de umidade;
  • Incidência de Chuva;
  • Intempéries;
  • Tendência de movimentação da estrutura;
  • Etc.

Por isso, como existem inúmeras técnicas e materiais diferentes de impermeabilização no mercado, o ideal é conversar com o engenheiro responsável pela obra para chegar numa conclusão mais segura na sua escolha.

Encerrando

A umidade ou a simples presença de água pode provocar diversos problemas para a construção ou à saúde das pessoas presentes nelas diariamente. Por isso, ter conhecimento sobre o que é impermeabilização é um ato importante, pois nos ajuda a prevenir e construir casas mais eficientes para se adequar a nossas necessidades.

E aí? Gostou do texto? Compartilhe nas suas redes sociais ou na sua rede de contato pessoal! Ou deixe um comentário dizendo o que achou!

Como impermeabilizar laje

Como Impermeabilizar Sua Laje

Quer saber como impermeabilizar sua laje de maneira rápida e fácil? Pois então veio ao lugar certo!

Aqui neste artigo nós iremos lhe apresentar as melhores maneiras de como impermeabilizar sua laje. Basta que você escolhe uma, siga nosso passo a passo e pronto, trabalho feito!

Preparado para aprender? Pois então vamos lá!

Quando devo impermeabilizar minha laje?

Esta pode ser uma pergunta bastante comum, afinal de contas, como você poderá ter noção do momento ideal para impermeabilizar sua laje? Claro, o ideal mesmo é que você impermeabilize sua laje no momento em que a estiver construindo, mas nem sempre isso é possível.

O melhor aqui é ficar sempre atento e, no primeiro sinal de dano você corre para impermeabilizar a laje. O acúmulo de água na laje é sempre o pior inimigo, fazendo com que as telhas fiquem úmidas, surjam rachaduras e até mesmo o esfarelamento superficial. Fique atento a estes sinais!

Caso você vá simplesmente protelando a impermeabilização, poderá chegar o momento em que sua laje estará irreparável, e suas instalações comprometidas de maneira definitiva. E se isso por si só não é o suficiente para lhe fazer correr o mais rápido para aprender a como impermeabilizar a laje, saiba que uma estrutura com teto desgastado irá inevitavelmente desvalorizar o preço do seu imóvel. Então se estiver planejando vendas, é bom ficar de olho nisso!

Antes de impermeabilizar sua laje

Antes de correr atrás de métodos de impermeabilização, existem algumas coisinhas que você deve saber. Abaixo vamos focar em tudo o que você precisa saber antes de botar a mão na massa. Ah, e é sempre bom lembrarmos que aqui nós estaremos considerando a laje exsposta.

A laje exposta é aquela laje que está exposta, meio óbvio né? Ou seja, aquela laje que recebe ação direta do clima, seja aquela sol escandante ou aquela chuva sem parar. Então não é difícil identificarmos o maior vilão da laje exposta: as infiltrações!

Só o concreto não é o suficiente para fazer com que sua laje esteja impermeabilizada, e é aí que entra a importância deste artigo! Mas calma, vamos focar no que você deve saber antes de ir correndo e impermeabilizar sua laje.

Rígida ou Flexível?

Basicamente, há dois tipos de sistemas para impermeabilização: Flexível e Rígido.

Como saber quando cada tipo é aconselhável? Já te explicamos!

O sistema rígido é recomendado para locais que não possuem grandes movimentações por parte da estrutura, movimentações estas que podem ser causadas principalmente pela variação térmica.

Ou seja, este tipo de sistema de impermeabilização é mais comumente utilizado em fundações, poços de elevador, baldrames, muros de arrimo, piscinas enterradas, reservatórios inferiores de água, etc. Você pode aplicar uma impermeabilização rígida com argamassas impermeáveis, poliméricas, epóxi ou então por cristalização.

Já o sistema flexível em contrapartida é recomendado para quando a estrutura pode se movimentar, sem com isso ocasionar danos em outros elementos da edificação.

Este sistema é bastante utilizado em lajes (seja elas pré-moldadas, mistas ou maciças), varandas, terraços, áreas de serviço, banheiro, pisos de cozinha, jardins e reservatório superior de água.

Sistemas de impermeabilização sem emendas

Dentro do sistema flexível nós podemos diferenciá-lo em: sistemas moldados in-loco ou sistemas com emendas. A diferença? Tudo por conta do seu processo de execução.

Os sistemas com emendas estão sujeito a falhas quando executados por profissionais inexperientes, devido a sua sobreposição. Já o sistema moldado in-loco, por não apresentar sobreposições, faz com que as chances de falhas sejam menores.

Sobrepeso e revestimento

Tenha em mente se o sistema para impermeabilizar a laje poderá ou não ficar exposto. Isto é significativamente mais desafiador fora do período de obra, como é o caso das reformas.

Sempre que ocorrer do sistema para impermeabilização não possuir uma resistência mecânica, ele precisará de um revestimento. No caso de lajes expostas isso significará a necessidade de um contrapisa, e em alguns casos até mesmo um piso, tal qual o caso da manta asfáltica. É importante que nestes casos o engenheiro calculista conte com a sobrecarga proveniente do contrapisa para o dimensionamento estrutural da laje.

Assim, caso porventura ocorrerem falhas no sistema de impermeabilização, não será possível refazê-lo, pois poderá acabar gerando um sobrepeso adicional no piso preexistente, e por consequência na laje.

Vida útil e garantia

Na hora de escolher a maneira ideal de como impermeabilizar sua laje, algo que você definitivamente deve estar atento é com relação a sua durabilidade. O ideal aqui é que para impermeabilizar a laje você conte sempre com mão de obra qualificada, de modo a garantir a vida útil do sistema como um todo.

Atente-se sempre aos sinais de infiltração, bem como a presença de umidade presente nas lajes, faça sempre manutenções periódicas. Na prática, quando estes sinais aparecem já no interior de uma edificação, isto significa que os problemas com infiltração na laje já estão ali há um longo tempo.

Como impermeabilizar a laje – Passo a Passo

Certo, sem mais delongas vamos lhe apresentar o tópico especial deste artigo, como você poderá impermeabilizar sua laje. Abaixo nós iremos lhe apresentar dois sistemas diferentes para tal, cabendo a você selecionar qual o melhor. É sempre bom destacarmos o quão importante é a presença de um engenheiro em todas estas etapas, até mesmo para a escolha do melhor método para impermeabilização.

Impermeabilizando a laje por cristalização

  1. A primeira coisa a se fazer aqui é limpar a superfície que você irá impermeabilizar, se livrando de impurezas e outros materiais que estejam sobre ela;
  2. Tampe buracos e trincas, arredonde os cantos de encontro das paredes com os pisos, ou seja, corrija todas as partes defeituosas da superfície;
  3. Chumbe tubulações e ralos existentes;
  4. Agora é a hora de aplicar a primeira demão de seu produto impermeabilizante com o auxílio de uma vassoura de pelo e deixar secar bem;
  5. Novamente com uma vassoura de pelo, ou com um rolo de lã, aplique a segunda demão de seu produto. Espero secar um pouco e em seguida já aplique a terceira demão;
  6. É importante que você aplique as demãos no sentido cruzado, em camadas uniformes e com intervalos de duas a seis horas entre elas, dependendo de qual a temperatura ambiente;
  7. No contorno dos ralos, em regiões críticas, você deverá calafetar com resinas, logo após o impermeabilizante secar por completo;
  8. Você deverá verificar a estanqueidade durante e após a cura, por um período de 5 dias, ou o período que estiver indicado na embalagem do produto que você estiver utilizando. Para isto você deverá vedar ralos e encher toda a área impermeabilizada com água, a procura de infiltrações;
  9. Vazamentos? Então a impermeabilização somente será liberada após reparada e o teste ser novamente feito.

Impermeabilizando a laje com manta asfáltica

  1. Seguindo o mesmo passo inicial do método acima, limpe bem a superfície antes de iniciarmos;
  2. Após a limpeza, aplique uma demão do primer para garantir assim uma maior aderência. Utilize-se de uma vassoura de pelo para esta etapa, e espere secar completamente por cerca de 3 a 4 horas, tenha noção de que em alguns casos será necessário esperar mais do que isso;
  3. Estique sua manta asfáltica por toda a superfície, para que assim você consiga cortá-la no tamanho certo da área que irá impermeabilizar. Enrole a manta novamente e inicie seu processo de aplicação. É necessário aqui desenrolar e aquecer o plástico com a ajuda de um maçarico, para que assim você consiga uma maior aderência por parte da manta na superfície;
  4. Já para os ralos, o ideal é cortar um pedaço da manta de 30 x 30 cm e o colocar sobre os ralos, cortar a manta em um formato de X no vão do ralo e virar suas pontas para dentro. Após aplicar a manta sobre toda a superfície, faça outro corte em formato de X, dobrando as pontas da manta na direção do interior do ralo. Dessa maneira, nos pontos de escoamento, a manta irá se estabilizar com uma camada dupla;
  5. Já nas paredes, aplique a manta com uma distância do solo de até 40 cm, de modo a deixar o acabamento entre as paredes e o piso abaulado, procurando sempre uma melhor adesão do material ao piso;
  6. Faça uma sobreposição de 10 cm entre uma manta e outra;
  7. De modo a executar o acabamento da manta onde haverá transição entre uma área impermeabilizada com uma que não será revestida por este material, você deverá, com o auxílio de um maçarico, esquentar as extremidades da manta asfáltica e moldá-la com uma colher de pedreiro;
  8. Agora é a hora de realizar o mesmo teste de estanqueidade descrito acima, com uma camada de água de cerca de 5 cm e por um período de 72 horas;
  9. Vazamentos? Então será necessário refazer tudo, desde o primeiro passo!
  10. Com a ajuda de uma régua, espalhe uma camada de 2 cm de argamassa de areia e cimento com um traço de 1:3 por toda a área impermeabilizada;
  11. Aplique chapisco colante nos cantos das paredes, com a ajuda de uma desempenadeira.

Impermeabilizar a laje você mesmo

Ressaltamos mais do que nunca a necessidade de contar com profissionais neste processo, entretanto, você tem ainda a opção de fazer você mesmo. Produtos que lhe permitem fazer você mesmo podem ser encontrados em lojas, são os chamados “Manta Líquida”. O passo a passo para implementação deste método costuma ser bastante simples, bastando que você siga as instruções da embalagem.

Barato e prático, tais produtos permitem que você mesmo os aplique e economize com mão de obra. Entretanto, problemas a longo prazo podem acabar surgindo. O melhor aqui seria avaliar a viabilidade de tais métodos com seu engenheiro.

Conclusão

Agora você tem uma boa ideia de como impermeabilizar sua laje, e esperamos que tenha em mente da importância de contratar mão de obra qualificada para este serviço. A manta asfáltica costuma ser o método mais empregado, e pelo passo a passo acima você pôde ver que não se trata de um método simples. Um simples erro lhe obrigará a refazer tudo, e será um gasto de material para você, tendo em vista que um rolo de manta asfáltica com 10 m² e 3 mm de espessura custa em média R$ 180,00.

Dúvidas? Basta perguntar! E caso tenha gostado e aprendido algo com este artigo, não deixe de compartilhá-lo com seus amigos e conhecidos, espalhar conhecimento é sempre algo muito bom a ser feito!

Piso Epóxi Industrial: Preço, Vantagens e Desvantagens.

Se você está procurando informações e dados sobre o piso epóxi você está no local certo, aqui iremos abordar tudo sobre o piso epóxi, caso persista alguma dúvida ou queira solicitar algum orçamento, entre em contato conosco.

Piso Epóxi: O que é?

O piso epóxi é um revestimento a base de resina epóxi, endurecido quando misturado com um catalisador/endurecedor. Os revestimentos epóxi possui altíssima resistência química e boas resistências mecânicas, o que torna uma aplicação extremamente versátil, sendo aplicado desde escritórios com tráfego de pessoas até em mecânicas como das montadoras ou concessionárias, por exemplo.

Características e Vantagens do Piso Epóxi

O piso epóxi possui diversas características, veja alguma das suas principais abaixo:

Resistência Química e Mecânica

O piso epóxi é resistente a produtos químicos, portanto ele pode ser usado em laboratórios químicos e locais onde se usa determinados tipos de reagentes químicos, caso queira saber todos os produtos químicos que o piso epóxi resiste, entre em contato conosco que lhe enviaremos um pdf.

Excelente Estética

Este piso possui uma estética inigualável, pois seu aspecto é de um piso sempre limpo.

Alto Brilho

Todo piso epóxi possui um altíssimo brilho, o que garante ao seu ambiente uma excelente estética

Durável

Comparado a outros pisos, o revestimento epóxi dura muito mais, bastando apenas fazer as manutenções corretas.

Impermeabilizante

Este piso também pode ser usado como um impermeabilizante. Muitas pessoas aplicam o epóxi até mesmo em piscinas.

Inúmeras possibilidades estéticas

As cores deste piso estão disponíveis em toda escala RAL, portanto é possível realizar um piso com infinitas cores.

Fácil Limpeza e Asséptico

Devido seu alto brilho, este é altamente indicado para locais onde se requer limpeza extrema, como hospitais, farmácias, clínicas, etc. Uma vez que este piso não contém juntas nem cantos vivos, o mesmo não acumulará bactérias.

Rápida Instalação

Este piso apresenta alta velocidade na aplicação e no tempo de cura, permitindo pintar grandes áreas em um curto período de tempo

Diversas superfícies

Aplicável sobre vários tipos de superfície

Desvantagens do Piso Epóxi

Abaixo, algumas desvantagens deste piso

Custo

O custo do piso epóxi não é tão baixo comparado a outros revestimento

Manutenção

Este piso requer um devido cuidado e deve ser feita manutenções periódicas.

Riscos

Pode apresentar riscos

Tipos de Piso epóxi

Como dissemos no começo deste artigo, o piso epóxi constitui de resina epóxi, mas sua aplicação irá definir qual o tipo daquele piso epóxi, abaixo citaremos os principais

Espatulado (argamassado)

O epóxi espatulado é feito em forma de argamassa, totalmente indicado para locais que se exige alta resistência mecânica, como industriais em geral.

Multilayer

Este tipo é indicado para corrigir as deficiências no piso graças a sua espessura e também as suas diversas camadas (layer) de resina epóxi e quartzo.

Autonivelante

O nome popular deste tipo de revestimento é porcelanato liquido, apresenta o melhor acabamento estético, sendo indicado para locais onde se requer um grau elevado de limpeza, como cozinhas industriais, hospitais, etc. Este piso possui espessura entre 1 e 5mm. Sua aplicação é feita com a utilização de rodos e espátulas dentadas o irá garantir a espessura previamente definida.

Pintura epóxi

De todos os pisos epóxis a pintura epóxi é a mais usual, podendo ser lisa ou antiderrapante, possui uma vasta gama de cores. Este revestimento é muito versátil, podendo ser aplicado desde o chão de fábrica até mesmo em cozinhas residenciais.

Como aplicar o piso epóxi?

É importante mencionar que toda aplicação deve ser feita por profissionais capacitados, caso contrário, o piso poderá conter solturas, desplacamentos bolhas, falta de brilho, etc.

Para sucesso total na instalação do piso epóxi é necessário seguir 02 etapas cruciais:

  • Preparo da superfície – a superfície não pode conter manchas de óleo, caso contrário a resina poderá se soltar, a base a ser aplicada a resina deve estar firme sem a soltura de poeiras, e por último e não menos importante, a base não pode de maneira nenhuma conter umidade.
  • Qualidade da resina – Existem diversas marcas de resinas no mercado, as mais comuns conhecidas pelo público B2C são as vendidas nas casas de tintas, porém essas resinas não são profissionais e não possuem a mesma resistência que uma resina industrial.

MANUTENÇÃO DO PISO EPOXI

Nós recomendamos certa manutenção no piso epóxi caso você queira manter seus aspectos visuais e de resistências, para isso são necessários alguns cuidados.

  1. Evitar objetos com pontas sobre o piso epóxi
  2. É recomendado o uso de feltros na roda das cadeiras
  3. Evite arrastar mesas em cima do piso epóxi
  4. Empilhadeiras não devem utilizar rodas rígidas
  5. É recomendável o uso de verniz acima do piso com certa rotina
  6. O piso não deve ser limpo com agentes químicos, apenas água e sabão neutro.

Piso Epóxi Preço: Quanto custa?

O preço do piso epóxi varia de acordo com 4 pilares, veja eles abaixo:

  1. Varia conforme o tipo conforme citamos acima
  2. Localidade
  3. Material a ser utilizado
  4. Metragem

Caso seja uma pintura epóxi comum, o preço fica entre R$30 a R$50 o m2

Para ter um orçamento detalhado entre em contato conosco.